1

2

3

4

A Campanha

presid

No âmbito de uma magistratura de influência e próxima das pessoas, S.E. o Presidente da República de Cabo Verde,
Dr. Jorge Carlos Fonseca, juntamente com o Ministério da Saúde e Segurança Social (MSSS), o Ministério da Educação, Família e Inclusão Social (MEFIS), a Organização Mundial da Saúde (OMS) e mais de sete dezenas de entidades estatais e da sociedade civil, estão a promover a Campanha de Prevenção do Uso Abusivo do Álcool “Menos Álcool, Mais Vida”. 

 

Newsletter

Registe no nosso newsletter e receba novidades, noticias e informações

Eventos

No events
Contacte nos

Apresentação da campanha

Proteja a sua familia!

Videos Promocionais

Informações úteis

O álcool é, de um ponto de vista químico, o composto orgánico que contém o grupo hidroxilo unido a um radical alifático ou a algum dos seus derivados. Neste sentido, tratando-se de um composto, existem diversos tipos de álcoois.

Na linguagem do dia-a-dia, dá-se o nome de álcool ao composto químico etanol, também chamado álcool etílico. Trata-se de um líquido incolor e inflamável cujo ponto de ebulição é de 78ºC.
A fórmula química do álcool etílico é CH3-CH2-OH. Este composto é usado para preparar as bebidas alcoólicas, as quais, em muitas ocasiões, também são conhecidas simplesmente como álcool (por exemplo, “Precisamos de comprar álcool para a festa desta noite”, “O Miguel bebeu demasiado álcool, já não diz coisa com coisa”).

A ajuda para este tipo de problemas está disponível, é confidencial e fácil de encontrar! Os tratamentos para problemas menos severos incluem a terapia individual, familiar e de casal.
Os grupos de apoio também são disponibilizados não só para aqueles que sofrem de alcoolismo como também para os seus familiares e amigos. Para casos severos, existem programas de desintoxicação que requerem que o indivíduo permaneça no hospital ou no centro de tratamento, envolvendo a farmacologia complementada com o trabalho psicoterapêutico.
A avaliação da severidade do problema e da intervenção mais adequada deve ser feita por um profissional de saúde. Mas o primeiro passo tem que ser teu e passa por admitir que tens/podes ter um problema e precisas de ajuda. Tal não é uma decisão fácil, requer coragem e apoio, daí que o trabalho psicoterapêutico seja fundamental.
Recorra aos grupos de apoio; O seu médico; Centros de Saúde no seu município; ao Hospital da sua região, etc.

Os efeitos nocivos que o álcool causa no corpo são inumeráveis, principalmente o etanol que é uma droga psicoativa que provoca muitos efeitos secundários alterando gravemente o organismo.

Neste caso a quantidade de álcool ingerido tem um papel muito importante, como também as circunstâncias. Se você consome álcool com o estômago cheio os efeitos são menores no organismo. Porém, se você bebe com o estômago vazio os efeitos são muito maiores.
Como o álcool atua no organismo?
O álcool pode ter um efeito duplo no organismo, já que no início produz uma grande sensação de satisfação e alegria, porém mais a frente começa a produzir visão borrada e graves problemas de coordenação.

As membranas das células não podem deter a passagem do álcool e já estando no sangue, ele se espalha pela maior parte dos tecidos que compõe o corpo.

Com o consumo excessivo a consciência é facilmente perdida, mas se o consumo é extremamente alto pode provocar envenenamento por álcool e até produzir a morte, já que uma alta porcentagem de álcool no sangue provoca parada cardiorrespiratória ou morte por asfixia ocasionada pelo vômito, pois quando uma pessoa está totalmente alienada por causa da embriaguez pode se afogar no próprio vômito por não poder responder a esta necessidade.

O álcool depois de ser ingerido pode levar uns trinta ou noventa minutos sem chegar ao sangue, nesse momento os açúcares que se encontram no sangue são reduzidos, provocando uma absoluta debilidade e esgotamento, isto acontece porque o álcool acelera a transformação de glicogênio em glicose, e esta é eliminada mais rápido.

As fases da intoxicação etílica
Logo depois de beber aparecem os efeitos, a depender da quantidade que foi ingerida.

Primeiro vem a euforia, excitação, desinibição e uma conduta impulsiva.
O segundo efeito é a intoxicação, quando o organismo não está acostumado com o álcool, o sistema nervoso é afetado, a capacidade de coordenar os movimentos é perdida e o também o equilíbrio, o que pode provocar quedas. O álcool provoca depressão e perda de calor.
Depois vem a fase hipnótica, de muita confusão, produz irritabilidade, agitação, sono, náuseas, vômitos e dor de cabeça.
O quarto efeito é anestésico e de estupor, são ditas palavras incoerentes, diminui notavelmente a consciência, se perde a força muscular, não se controla a vontade de urinar, a respiração fica difícil.
A última fase é a bulbar ou morte, ocorre choque cardiovascular, parada cardiorrespiratória e depois morte.
Os efeitos do consumo de álcool no organismo
Os efeitos do álcool no corpo são muitos, sejam a médio ou em longo prazo, muitos órgãos são danificados.

O cérebro e o sistema nervoso

O consumo frequente de álcool afeta gravemente as funções cerebrais, em primeiro lugar as emoções provocando mudanças súbitas de humor, alteração no controle da motricidade, má pronunciação, reações muito lentas e perda de equilíbrio.
Pode alterar a ação dos neurotransmissores, modificando sua estrutura e função, produzindo uma série de efeitos como a capacidade de reação, os reflexos são retardados, se perde a capacidade de coordenar movimentos, são produzidos tremores e alucinações. O autocontrole é perdido, a memória, a capacidade de concentração e as funções motoras são alteradas gravemente.
Todos estes efeitos juntos são as causas de uma grande quantidade de acidentes de trabalho e de trânsito, os quais levaram a vida de um considerável número de pessoas em todo o mundo.
O álcool causa danos graves nas células cerebrais, como também aos nervos periféricos, estes danos podem ser permanentes.
Também ocasiona a redução de vitamina B1, o que causa a doença de Wernicke-Korsakoff que provoca a alteração dos sentimentos, pensamento e memória.
Provoca transtornos de sono na grande maioria das pessoas que o consomem com muita frequência.
Além disso, essas pessoas se afastam com frequência de seu ambiente de trabalho e familiar, o que provoca o abandono das famílias, divórcios e a perda do emprego, e pode provocar uma profunda depressão e na maioria dos casos termina em suicídio.
A maior parte destes efeitos é produzida dependendo da quantidade e da frequência com que o álcool é consumido.
Em doses muito altas pode levar ao estado de coma, em casos muito avançados provoca alterações mentais muito sérias e danos cerebrais permanentes.
Períodos de anemia aparecem, com alterações na memória, condição que pode durar alguns minutos, horas ou inclusive alguns dias.

No coração e no aparelho respiratório
Aumenta a atividade cardíaca.
O consumo de doses muito elevadas pode aumentar a pressão sanguínea ou pressão arterial, ocasionando danos no músculo cardíaco devido ao efeito tóxico do álcool.
O músculo cardíaco é debilitado e por isso sua capacidade para bombear o sangue reduz.
Produz vasodilatação periférica, o que ocasiona avermelhamento da pele e aumento da temperatura superficial da mesma.

No aparelho digestivo: estômago, pâncreas, fígado e esôfago
Todas as moléstias gástricas acontecem porque o etanol corrói e irrita a mucosa gástrica, provocando ardor estomacal que pode ser incrementado se você toma vários tipos de bebidas alcoólicas de vez.

O álcool aumenta a produção de ácido gástrico, provocando irritação e inflamação nas paredes do estômago, o que pode provocar úlceras e hemorragias internas que podem ser fatais.
O elevado consumo de álcool pode ocasionar câncer de estômago, laringe, esôfago e pâncreas.
Pode provocar esofagite, ou seja, a inflamação do esôfago, além de varizes esofágicas sangrentas.
Causa pancreatite aguda, que é a inflamação severa do pâncreas, o que pode levar a morte.
A pancreatite também pode ser crônica provocando uma intensa dor permanente.
O consumo de álcool pode levar a pessoa a sofrer de diabetes tipo II e com as graves consequências que esta doença provoca.
O órgão que tem a função de metabolizar o álcool é o fígado. As enzimas do fígado transformam o álcool primeiro em acetaldeído e logo em acetato e outros compostos. O processo é muito lento, por isso produz danos nos tecidos do fígado.
Pela irritação e a inflamação celular hepática é provável que uma hepatite alcoólica apareça. Desta maneira o fígado pode ser afetado transformando-se primeiro em fígado gorduroso, logo pode chegar a hepatite e depois cirrose, terminando por chegar ao câncer de fígado e causando a morte.
Outras alterações deste órgão podem ser a icterícia, ou seja, a coloração amarela da pele, a esclerótica e a acumulação de líquidos nas extremidades.
A função renal é alterada, já que o hormônio antidiurético tem seus níveis reduzidos, o que provoca desidratação.
O álcool traz uma grande quantidade de calorias com muito pouco valor nutritivo, impede a absorção de alguns minerais e vitaminas, elimina o apetite, provocando desnutrição.

No sangue
Impede a produção de glóbulos brancos e vermelhos.
A anemia megaloblástica acontece quando não existe quantidade suficiente de glóbulos vermelhos para transportar o oxigênio.

Na gravidez e no feto
O consumo de álcool durante a gravidez pode provocar no feto a síndrome alcoólica fetal, os sintomas desta condição se manifestam como retardo de crescimento, alteração nos traços craniofaciais, má formação cardíaca, hepática, renal e ocular.
O dano mais grave acontece no sistema nervoso central do feto, que pode produzir um marcante atraso mental.

Algumas maneiras pela qual o álcool afeta sua saúde física:

Olhos
O uso prolongado e pesado de álcool pode produzir neurite óptica, e em alguns casos causando a cegueira. Isso ocorre porque a ingestão de álcool causa deficiência da vitamina B1 e do Zinco.

Coração
A cardiomiopatia (inflamação do musculo do coração) é comum em usuários de álcool. Os sintomas incluem dor no peito, palpitações, tosse, fadiga e dificuldades para respirar. O álcool também está ligado à arritmias que em casos mais graves leva a uma parada cardíaca.

Cólon/Intestino Grosso
O câncer de cólon ou do intestino grosso vem sendo relacionado ao consumo de cerveja – um estudo recente indicou que o consumo de somente dois copos reduz ou acaba com qualquer efeito positivo de uma dieta correta.

Intestino Delgado
Altas quantidades de álcool podem causar lesões hemorrágicas na parede do intestino delgado, afetando as contrações do intestino, levando a diarreia. Os efeitos do álcool no intestino delgado desaparecem de 2 a 6 semanas após a retirada do álcool.
O uso crónico também pode resultar em anormalidades na forma em que o corpo processa os nutrientes. Baixos níveis de Ferro, Zinco, vitamina E e algumas vitaminas do complexo B são comuns em bebedores pesados, e foram associados com alguns tipos de câncer. Em relação aos níveis de vitamina A, acredita-se que ela tenha propriedades proteroras contra alguns tipos de câncer, mas estão reduzidas no fígado e esófago dos bebedores pesados.

Vias aéreas
Roncar é comum após a ingestão de bebidas alcoólicas à noite. Isso ocorre devido aos efeitos relaxantes do álcool nos músculos da faringe.

Órgãos sexuais
O álcool acarreta a divisão rápida das células reprodutivas e aumenta os níveis de acidez nestes tecidos, o que pode afetar a fertilidade.

Imunidade
O álcool tem sido associado à supressão do sistema imunológico, o que deixa o usuário crônico mais suscetível à várias doenças infecciosas e, tecnicamente, ao câncer. O consumo também aumenta o risco de pneumonia e tuberculose.

Boca
O uso regular de álcool aumenta o risco de câncer na boca. Aproximadamente 50% de indivíduos com câncer de boca, faringe (amígdala) e laringe (voz) estão associados com o consumo pesado de álcool. Se o individuo beber e fumar, o risco de câncer aumenta dramaticamente.

Fígado
O fígado é responsável pela eliminação de 95% do álcool ingerido. Para os indivíduos que consomem 5 doses de bebida alcoólica por dia, o risco de cirrose hepática é 5 vezes maior do que aqueles não bebedores. As mulheres correm um risco ainda maior de cirrose hepática em comparação aos homens.
De forma prolongada, o uso pesado de álcool tem sido associado primeiramente à cirrose, que pode levar ao câncer.

© 2017 Menos Alcool, Mais Vida. All Rights Reserved. Designed By NOSi

Please publish modules in offcanvas position.